Fale conosco







PERFIL DA FORÇA DE TRABALHO REPRESENTADA PELO CIRURGIÃO-DENTISTA: ANÁLISE EPIDEMIOLÓGICA DOS PROFISSIONAIS QUE EXERCIAM SUAS ATIVIDADES NA PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO PAULO, 2007 São Paulo, 2008
 
O tipo de profissional que existe em um país, em um determinado momento, é resultante do processo evolutivo da atividade, e caracteriza uma etapa de evolução da profissão. O objetivo do estudo foi verificar o perfil das atividades profissionais dos Cirurgiões-Dentistas que desenvolviam seu trabalho no Sistema Único de Saúde (SUS) no Município de São Paulo em 2007. Para obter as informações constantes da proposição deste trabalho foi realizado um estudo transversal descritivo e analítico através da utilização de questionário. Foram entrevistados profissionais
participantes de curso de capacitação oferecido pela prefeitura e que estavam presentes no dia do inquérito. Antes da sua aplicação, o instrumento passou por um processo de estudo piloto e pré-teste para chegar à sua versão final. A parte do questionário que mensurou a satisfação no trabalho foi adaptada para a língua portuguesa (Brasil). Também foram testadas as suas propriedades psicrométricas.
Os dados foram organizados e analisados no programa STATA 10.0. A pesquisa foi encaminhada aos Comitês de Ética em Pesquisa da Prefeitura Municipal de São Paulo e da Faculdade de Odontologia da Universidade de São Paulo, tendo sido aprovados. O processo de validação da escala de satisfação foi adequada, apresentando boa consistência e validade. Participaram do estudo 605 Cirurgiões- Dentistas que exerciam suas atividades profissionais na Prefeitura Municipal de São Paulo no ano de 2007. Em relação às características sócio-econômicas, 70,74% dos profissionais eram do gênero feminino e 29,26% do gênero masculino. Os Cirurgiões-Dentistas não estavam distribuídos de forma simétrica pelo município, e a região que continha o maior número de profissionais foi a zona sul, com 40,00% do
total de profissionais. Em relação à atuação profissional, 259 (42,81%) apresentavam curso de especialização, 29 (4,79%) de mestrado e 03 (0,50%) de doutorado. Relataram trabalhar em consultório privado 381 Cirurgiões-Dentistas (62,98%). A média de horas trabalhadas por semana foi de 37,30 horas, atendendo em média 8,38 pacientes a cada turno de 4 horas. O nível de satisfação dos participantes foi 2,84 (DP=0,29), em uma escala de 0 a 5. Os valores cada bloco verificados foram: satisfação geral com o trabalho/emprego (média=2,86; DP=0,45), percepção de renda (média=2,71; DP=0,47), tempo pessoal (média=2,86; DP=0,50), tempo profissional (média=2,79; DP=0,84), equipe (média=2,80; DP=0,53), relacionamento com pacientes (média=2,77; DP=0,40) e fornecimento de assistência/atendimento (média=2,25; DP=0,60). Os profissionais que participaram do estudo eram em sua maioria mulheres, atuavam também no setor privado e possuíam uma carga de trabalho expressiva. A satisfação profissional foi boa e se mostrou associada com o atendimento concomitante no setor privado.
Palavras-Chave: Odontologia; Recursos Humanos; Satisfação no Emprego
 
 
Clique no botão para fazer o download do arquivo em PDF:




BIREME Ministério da Saúde OPAS OMS FOUSP